Maratona Harry Potter por Raul Arakaki:



Harry Potter e o Cálice de Fogo


Sinopse:



Em seu 4º ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwards, Harry Potter (Daniel Radcliffe) é misteriosamente selecionado para participar do Torneio Tribruxo, uma competição internacional em que precisará enfrentar alunos mais velhos e experientes de Hogwards e também de outras escolas de magia. Além disso a aparição da marca negra de Voldemort (Ralph Fiennes) ao término da Copa do Mundo de Quadribol põe a comunidade de bruxos em pânico, já que sinaliza que o temido bruxo está prestes a retornar.



O que achei:



Este filme parece ser um belo passo para trás depois da poesia visual do filme anterior. Em “ Azkaban” tivemos contato com um personagem que constrói sua ética e está pronto para lidar com o mundo. Esperava-se, dentro da saga como um todo, que este filme mostrasse ele tendo que enfrentar desafios profundos e que tivesse que lidar com seus piores pesadelos. Parecia ser o próximo passo lógico mas....
A produção tem um início promissor. Logo nos primeiros minutos vemos um assassinato e o ataque surpresa num estádio de futebol contra espectadores inocentes. Desconfia-se que que as coisas prosseguirão numa jornada escura, cheia de tragédias, mas a impressão se dissipa com a criação de um torneio interno dentro da escola em que os jovens alunos tem que competir por uma taça com outros colégios. O filme adquire um tom bobo e bonachão que não chega a ser exagerado mas parece um pouco deslocado.
As interpretações dos atores tornam-se um pouco leve como se estivessem participando de um filme para toda família que passa na sessão da tarde. O melhor exemplo é o Dumbledore, interpretado por Michale Gambon, que parece um senhor afetado e desajeitado em algumas cenas sendo que no resto dos filmes (inclusive os posteriores) ele tem um ar sóbrio e condizente com seu papel de diretor e chefe do grupo que vai lutar contra Voldemort. A diferença de tom também está expressa no personagem do zelador do colégio que nos outros filmes é visto como um ser ardiloso e mesquinha. Aqui ele é um desastrado que vive sendo motivo de riso.
Não é um mal filme. Na verdade, ele é bem divertido. O problema é como se encaixa na cronologia da série parecendo não ter dado muita atenção ao amadurecimento dos personagens. Os últimos 50 minutos ainda tentam dar um tom mais dark à narrativa com a primeira aparição física de Voldemort. Mas não é o suficiente para colocar o filme no mesmo nível de qualidade do anterior.

*****



Harry Potter e a Ordem da Fênix


Sinopse:



Harry Potter (Daniel Radcliffe) retorna à Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, para cursar o 5º ano letivo. Logo ele descobre que boa parte da comunidade bruxa foi levada a acreditar que o retorno de Voldemort (Ralph Fiennes) foi uma mentira inventada por Harry, o que põe sua credibilidade em dúvida. Além disto, o Ministro da Magia Cornélio Fudge (Robert Hardy) impõe à escola a presença de Dolores Umbridge (Imelda Staunton), que torna-se a nova professora de Defesa Contra as Artes das Trevas. Acontece que as aulas de Umbridge, apesar de aprovadas pelo ministério, abrangem apenas temas amenos, deixando os alunos despreparados para os perigos dos dias atuais. Incentivado por seus amigos Rony (Rupert Grint) e Hermione (Emma Watson), Harry decide encontrar-se em segredo com um grupo de estudantes, visando a prática de magia. O grupo se autodenomina como a "Armada de Dumbledore", mas logo passa a ser vista como uma ameaça ao próprio Ministério da Magia.



O que achei:



O diretor David Yates é o que tem um currículo mais modesto dentre os cineastas que adaptaram os livros de J.K Rowling. É um diretor que teve sua carreira construída principalmente na televisão londrina , com dramas e thrillers baseados mais em interação de personagens. Na comunidade cinematográfica, quando seu nome foi anunciado foi uma surpresa para todos. Também houve a mudança do roteirista. Steve Kloves, que tinha escrito todos os filmes da série até então, teve um esgotamento nervoso e decidiu ficar de fora desta adaptação dando lugar a Michael Goldenberg, um dramaturgo conhecido pelas suas peças de teatro.
As mudanças técnicas pareciam arriscadas.... Mas devo dizer que se pagaram com graça. O novo duo criativo parece ter injetado uma grande dose de suspense aos procedimentos. Cortaram as gorduras e tornaram o filme um grande thriller que mantêm o espectador entretido com a história e completamente absorto. Trata-se do livro mais longo, com cerca de 700 páginas na média, e o roteiro foi construído de uma maneira que o tornou um dos filmes mais curtos da série (!).
Cortou-se a gordura e ficou-se com uma narrativa densa, que não pára, que mantêm o espectador na beira da cadeira com uma história imprevisível, cheia de ação e com reviravoltas interessantes. É um filme punk rock (que inclusive aparece numa cena) imbuído de uma energia jovem de contestação e de desdém a idéia de ações autoritárias. Sem falar que temos um dos vilões favoritos da série, Dolores Umbridge, interpretada por Imelda Staunton, que com sua risada irritante, modos polidos e métodos arcaicos gera a repulsa e o ódio do espectador.
Trata-se de um dos melhores filmes com a narrativa dando a idéia de iminência da tragédia que virá em outros capítulos.


*****




Harry Potter e o enigma do príncipe


Sinopse:


Lorde Voldemort (Ralph Fiennes) é uma ameaça real, tanto para o mundo dos bruxos quanto o dos trouxas. Harry Potter (Daniel Radcliffe) suspeita que o perigo esteja dentro da Escola de Artes e Bruxaria de Hogwarts, mas Alvo Dumbledore (Michael Gambon) está mais preocupado em prepará-lo para o confronto final com o Lorde das Trevas. Dumbledore convida seu colega Horácio Slughorn (Jim Broadbent) para ser o novo professor de Poções, já que Severo Snape (Alan Rickman) enfim alcançou o sonho de ministrar as aulas de Defesa Contra as Artes das Trevas. Paralelamente Harry começa a ter um interesse cada vez maior por Gina Weasley (Bonnie Wright), irmã de seu melhor amigo Rony (Rupert Grint), que também é alvo de interesse de Dino Thomas (Alfie Enoch).


O que achei:



Logo no começo vemos Harry conversando com uma garota em uma lanchonete; flertando com ela - e tendo que abandonar o encontro devido a uma intromissão inesperada de Voldemort. Os hormônios chegam nesta Hogwart; que tem referências de Heathcliff e Hamlet. Em uma cena chega a ficar subentendido a perda de virgindade de um dos personagens enquanto outro aparece melancólico sobre uma torre devido as pressões que o mundo imprime em suas costas.
É o filme mais pessoal da série onde os dramas dos personagens são maiores do que a narrativa em si. É uma bela produção onde podemos ver o desenvolvimento de todos (exceto por Hagrid, que fica um pouco nos bastidores). Chama a atenção pela maneira como evita as cenas grandiosas de ação em prol dos relacionamentos. O espectador sente-se tocado pelos conflitos dos personagens.
O final também é de cortar o coração. Com a morte de um dos personagens mais queridos e , na minha opinião, uma das cenas mais belas, com os bruxos tentando iluminar o céu com suas varinhas após a descoberta de uma tragédia, é um filme que mantem a qualidade da série. Uma bela produção que emociona e enche o espectador de ansiedade para o que virá em seguida.

Para semana que vem.... Finito de Potter.

*****



17 comentários :

  1. Semana passada assisti todos os filmes. Levou três dias para assistir todos, mas valeu a pena.
    Boa Semana.
    Bruna Marie - WTF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tori! 3 dias? Wow! Parabéns. Se vc parar para pensar que cada filme tem, em média, duas horas e meia, isso é uma grande vitória hehehe. São quase 20 horas de cinema ! Obrigado, Raul

      Excluir
  2. Super legal fazer maratonas... Eu só li os dois primeiros e vou ler intercedido em breve... Sobre os filmes eu só assisti o primeiro e gostei bastante...
    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi , Camylla! Espero que me diga depois o que achou. Desconfio que sua maratona vai demorar mais que a minha pois vai ler e ver os filmes. Poxa, deve ser uma experiência gratificante. Fiquei supercurioso e talez me aventure numa dessas tbm. Obrigado, Raul.

      Excluir
  3. Adooooro a maneira com q o Raul faz a resenha dos filmes.

    Agora tô doida pra ler o q ele vai falar do ultimo :)

    Parabéns Raul !

    Bjs !

    | O Blog Que Não é Blog |

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anna! Poxa, muito feliz aqui com seus elogios. Vou ver se capricho na próxima resenha. Obrigado, Raul

      Excluir
  4. Oi Raul :)

    Concordo plenamente com você a respeito da adaptação de: O Cálice de Fogo, também não gostei tanto. Abraços!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel! Legal que concordamos! Espero que tenhamos mais momentos em que nossas idéias sejam parecidas. Obrigado, Raul

      Excluir
  5. Olá Raul,

    Gostei dos detalhes aqui mencionados em relação aos filmes, não me atentei a isso quando assisti e ainda não li a série, mas espero começar em breve....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marco! O bom de ler quando alguém escreve sobre filmes ou livros é ver pontos de vistas diferentes do seu. É uma ótima maneira de refletir sobre o material mesmo que não concorde com o que está escrito. Legal te ver aqui de novo. Obrigado, Raul

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Assisti todos ! Mas nunca li os livros. Amo ler, mas nunca senti vontade de ler os livro do Harry ! Gostei das resenhas Raul.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...