Querida Sue - Jessica Brockmole - Editora Arqueiro:



Sinopse:

Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.

Minha Opinião:


É 1912. Elspeth Dunn vive na Ilha de Skye, na Escócia. Depois da vida inteira no mesmo lugar, ela fica feliz e surpresa ao receber uma carta de um fã chamado David Graham, um estudante americano que leu seu livro e ficou maravilhado com sua obra. Os dois passam então a trocar correspondências e a estreitar uma amizade muito especial com direito à confidências, alegrias e tristezas compartilhadas.
Com toda esta cumplicidade construída ao longo do tempo (cerca de 05 anos), um novo sentimento nasce entre eles, o amor.


Porém, ainda não era o momento de vivenciarem este sentimento, além da distância, David decide se voluntariar na Primeira Guerra Mundial e deixa sua amada sofrendo muito pela dúvida do dia de amanhã.
É preciso dizer que Elspeth é casada com Ian que é dado por morto após ir para a guerra.
Muitos anos depois, mais precisamente em 1940, a guerra volta a assombrar a vida da escritora, desta vez estamos falando da Segunda Guerra Mundial e de sua filha Margareth que está passando por uma situação semelhante à que a mãe passou. O homem por quem elá está apaixonada, deseja se alistar por seu país. Paul é piloto da Força Aérea Real.


Margareth é alertada pela mãe sobre o quanto pode ser sofrida esta paixão porém, ela só compreende o que a mãe quer dizer quando no exato momento em que estão travando uma terrível discussão, a casa é atingida por um bombardeio e a parede onde estavam as cartas fica exposta. Elspeth desaparece misteriosamente com as cartas porém, Margareth consegue guardar uma destas para si  e é através desta carta que ela decidi desvendar o mistério que é o passado de sua mãe, já que nem mesmo a própria família tem conhecimento do que aconteceu e que fez Elspeth mudar tanto e se transformar em outra pessoa...

"Por favor, não tome nenhuma decisão de que venha a se arrepender. Por favor, não entregue seu coração sem perceber, porque, minha doce menina, talvez nunca o receba de volta.”
Com amor,Mamãe"


As cartas entre sua mãe e David e até mesmo as suas com Paul, ditam o rumo da história deste livro.
Eu me identifiquei muito com o livro, não por ter vivenciado situações parecidas, nada disto, mas porque sou da era 'correspondências', ou seja, cresci numa época em que computador e internet eram apenas experimentos e realidade distante e utópica, o único jeito de nos comunicarmos era através de cartas e eu não economizava na caneta, conheci muita gente no Brasil todo e até mesmo de outros países por intermédio das cartas. Foi uma fase muito boa que acabou terminando com a vida adulta e com o avanço da tecnologia. Minha paixão pela literatura vem da mesma época, portanto, Querida Sue reúne na mesma obra duas paixões que perduram até os dias de hoje.


O livro nos mostra que muitas vezes é mais fácil nos expressarmos por meio da escrita, que é quando conseguimos demonstrar nossas emoções de forma mais sincera, abrimos nossos corações e deixamos extravasar toda nossa emoção. É exatamente isto que acontece com os personagens deste livro que de tão bem construídos, são muito reais e próximos ao leitor, a gente se sente parte da história.
Enfim, Querida Sue é um livro extremamente romântico e emocionante. Uma leitura delicada e simples que toca nosso coração a cada carta lida. Eu com certeza me apaixonei por este livro!

"Não se pode acreditar em nada do que é dito em tempos de guerra. As emoções são tão fugazes quanto as noites serenas."



Visite a Editora Arqueiro: http://www.editoraarqueiro.com.br/




11 comentários :

  1. o livro parece interessante a apesar de não ter me chamado a atenção!

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  2. Esse foi um dos melhores livros que li esse ano, amei cada carta, cada sentimento e tudo que a autora passa nas entrelinhas da trama.
    Queria ler mais livros assim.
    Amei a resenha Van. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Esse foi um dos melhores livros que li esse ano, amei cada carta, cada sentimento , cada emoção que a autora escreve nas entrelinhas da trama.
    Queria ler mais livros assim. *suspiros*
    Amei sua resenha e as fotos Van.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá Vanessa,

    Esse livro esta na minha lista de desejados, essa é a primeira resenha que leio dele, não sabia muito sobre, agora com a sua resenha ficou bem claro e sei que vou gostar...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. ah, parece ser uma história linda e emocionante demais!
    estou doida, super curiosa para ler ele! *-*
    espero conseguir ler ele logo, e não me decepcionar!!! ;~~

    ResponderExcluir
  6. Oi Van*

    Te confesso que não tinha me interessado pelo livro.
    Guria sua resenha tbm foi a primeira que eu li e vc me fez desejar muito o livro, vou agora mesmo solicitar para editora. Amei a premissa dele, o contexto, tudo. Quero ler.
    Ótima resenha Van*

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Van. Nossa esse livro parece ser lindo. Acho tão glamourosa essa época das cartas, mas infelizmente a tecnologia praticamente acabou com elas. :( Adorei a resenha. Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito da sua resenha. Por ser um livro de épocas de guerra, tenho um certo receio quanto ao final da história, me parece um livro com uma história linda, mas certamente triste.
    Sorteio do livro "Fahrenheit 451" no blog, participe: petalasdeliberdade.blogspot.com .

    ResponderExcluir
  9. Eu quero muito ler "Querida Sue". Confesso que a princípio, quando o livro foi lançado minha curiosidade era quase 0 mas a história e narrativa da autora me parecem muito tocantes. Pretendo lê-lo ainda este ano.

    Beijão

    ResponderExcluir
  10. É indo né? Eu cheguei a escrever um e-mail para a autora, a Jéssica parabenizando pelo belo livro e pela história de tanto que me emocionei, acredita? Ai, eu sou romântica até o fim dos dias!

    Beijos

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Van!
    Também sou da época das cartas (amava me corresponder com pessoas que não conhecia pessoalmente) e me encantei com Querida Sue.
    Achei a história linda e emocionante. Esperava um final bem diferente e me surpreendi. É um dos livros mais encantadores que já li!
    Beijocas
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...