Entrevista com a autora Simone Taietti - Uma Vida para Sempre:


Começando a semana com mais uma entrevista, desta vez com a autora lançamento da Editora Novo Século - Selo Novos Talentos - Simone Taietti.
Seu livro "Uma Vida para Sempre" tem sido bem comentado e tem deixado muitos leitores curiosos.
A autora é uma querida e gentilmente concedeu uma entrevista ao Blog, confiram:


1- Olá, primeiramente gostaria de dizer que estou muito feliz com a oportunidade de poder lhe entrevistar e, para começarmos, nos fale um pouco sobre você: é solteira, casada, ajuntada? 

 Olá, Vanessa e leitores do blog. Agradeço imensamente pelo convite e gostaria de expressar minha felicidade por poder compartilhar um pouco deste amor incondicional pela escrita com vocês. Bem, respondendo sua pergunta, sou solteira. Tenho vinte anos e moro com minha mãe e meu irmão(: 

  2- Sua família lê seus livros? Eles te apoiam? 

 Família representa a base, bem como principal alicerce. Recebo muito apoio de todos. Inclusive, enquanto escrevia, lia alguns trechos para meus pais, sentindo que precisava ouvir suas opiniões. É muito bom saber que posso contar com eles.  

  3- Qual sua cidade natal? Como foi sua infância? 

Em verdade, nasci em Videira - SC, município vizinho, contudo desde meu segundo dia de vida, por assim dizer, moro em Tangará - SC, capital do voo livre, palco, inclusive, de boa parte da história. Minha infância foi bem comum. Uma peculiaridade talvez era que eu gostava muito mais de desenhar e pintar do que de brincar de boneca (risos). Depois, surgiu o amor pela leitura e aos doze anos pela escrita. Mas até então, ainda na infância, sonhava em ser desenhista/artista plástica.  

 4- Em que trabalha? 

 Sou Assessora Parlamentar na Câmara de Vereadores do município de Tangará. E estou na sétima fase do curso de Direito na UNOESC (Universidade do Oeste de Santa Catarina), campus Videira.   

 5- Como você descobriu que gostava de ler e queria ser escritora? 

 Tenho uma lembrança nítida do meu gosto pela leitura desenvolvido desde muito cedo. Aqueles pequenos livrinhos infantis de histórias eram minha maior diversão na infância, gosto este que foi se aprimorando com o passar dos anos. Já o gosto pela escrita descobri aos doze anos de idade, quando na sexta série do Ensino Fundamental, em uma aula de Língua Portuguesa e Literatura, cujo assunto tratado era a diferença e construção de frases nos sentidos denotativo e conotativo. Lembro-me de que a professora pediu para que eu lesse o que havia escrito para o restante da turma e da reação dos meus colegas. Foi a primeira vez que soube quão boa é a sensação de tocar a alma e emocionar as pessoas com a escrita, com as minhas palavras, e desde então nunca mais parei.   


6- Quais seus autores e gêneros literários preferidos? Tem alguma dica de um bom livro? 

 Acredito que não haja livros, de todo, ruins. Existem inúmeros gêneros e com toda certeza alguns identificam-se mais com uns que com outros. Eu, particularmente, gosto muito de dramas. Gosto daquelas histórias cujos personagens poderiam ser qualquer um de nós, enredos em que nos envolvemos de tal maneira a ponto de desenvolvermos empatia, imaginarmo-nos naquele lugar, passando por aquelas situações. Um livro que me marcou muito e que indico para quem gosta do gênero é "My Sister Keeper" (A Guardiã da Minha Irmã, no Brasil), da escritora Jody Picoult. Aliás, costumo dizer que a Jodi é a rainha do drama familiar. Joaquim Maria Machado de Assis, o Bruxo do Cosme Velho é meu autor brasileiro preferido. Os livros dele possuem uma acidez épica e, apesar de ser mais conhecido por seus romances - que deixaram dúvidas históricas como: Capitu traiu ou não Bentinho? - gosto particularmente de seus contos.  
Não que tenha vasta experiência em leitura, tendo lido apenas cerca de cem livros até hoje, mas, por ter grande curiosidade quanto aos livros preferidos das pessoas, cito aqui os meus, que de alguma forma me marcaram 

A Cor Púrpura – Alice Walker 
A Guardiã da Minha Irmã – Jodi Picoult 
A Menina que Roubava Livros – Markus Zusak 
Bravura Indômita – Charles Portis 
Marley e Eu – John Grogan 
O Cortiço – Aluísio Azevedo 
O Silêncio dos Inocentes – Thomas Harris 
Quatro Estações – Stephen King  

 7- Quanto tempo em média demora para escrever uma história? 

 Tenho duas histórias longas escritas. Uma vida para sempre que foi publicada recentemente e o primeiro livro que escrevi, mas que ainda encontra-se "engavetado" e tem por título “As pipas de agosto”. Para terminar ambos, levei cerca de dois meses e meio. Sou um tanto quanto impaciente e por isso gosto de estabelecer um ritmo para a escrita, de modo que flua e renda. Tenho alguns outros escritos também, entre crônicas, contos e textos de opinião, estes, geralmente, escrevo em um ou dois dias, deixando lapsos entre uma fase e outra da escrita, pois acredito no poder do amadurecimento da ideia em questão.   
 8- Você acha que a internet hoje em dia tem ajudado ou atrapalhado a divulgação dos livros? 
 Acredito que ajude muito. Alimentava um blog - que não desativei, inclusive - há alguns anos. Mas nunca dediquei-me a ele especificamente. Está perdido pela vastidão da internet, (risos)Cito isso porque, apesar de não me utilizar de todas as ferramentas e redes sociais disponíveis para disseminar a existência do meu livro, creio que as poucas formas de divulgação que utilizo surtem muito efeito. Skoob é uma ferramenta perfeita, através da qual tenho conhecido muitas pessoas interessantes. Ultimamente, vimos uma série de livros publicados no Brasil, fazendo sucesso, que "nasceram" em blogs, o que é muito bacana.   

 9- E aquela perguntinha que não podia faltar, rsrs. Fale-nos um pouco do seu novo trabalho, como surgiu a inspiração e a emoção de vê-lo publicado: 

 Como disse anteriormente, gosto da sensação de tocar as pessoas com as minhas palavras e, tendo em vista a predileção pelo drama, creio que "Uma vida para sempre" seja uma pequena combinação de tudo isso. Comecei a escrevê-lo, para valer, em março de 2014. Digo "para valer", pois a história, ao menos a central, falar sobre pessoas que lidam com a iminência da morte todos os dias, vem de muitos anos, o que culminou em alguns esboços. Inicialmente, a ideia era de um personagem que vagava por um grande hospital ouvindo as histórias dos pacientes que ali se encontravam. Mas, quando voltei a escrever tinha a Ethel em mente, uma adolescente que possui CIPA (Insensibilidade Congênita a Dor com Anidrose), condição raríssima que, ao contrário do que muitos pensam, sim, existe mesmo! (risos)Muitos livros têm popularizado o que conhecemos por subgênero Sick-Lit (literatura doente, em tradução literal) nos trazendo histórias de jovens que, contrapondo a saúde de que deveriam gozar, enfrentam a presença implícita da morte em todos os minutos de suas existências. Entretanto, mesmo saudáveis, não enfrentamos esta presença implícita da morte todos nós? Afinal, a morte é a única certeza que temos nesta vida. Aproveitando-me da popularização deste tema, resolvi deixar que a Ethel, esta adolescente peculiar do Meio-Oeste catarinense conte a todos, através do seu diário, sua história e, consequentemente, as histórias das pessoas que a rodeiam.  A família. Os amigos. O possível verdadeiro amor. Talvez uma última chance. A morte. De fato, Uma vida pra sempre é um compilado de pensamentos, desejos e dias. Sim, Ethel descobriu quanto dura o para sempre e, o mais bacana é que todos nós podemos descobrir também.  
Há alguns anos acreditava que não teria capacidade nem mesmo de findar uma história longa, quanto mais de publicá-la. Ver este livro nas mãos das mais diferentes pessoas, de vários lugares do Brasil, muitas das quais até então desconhecidas para mim, bem como receber mensagens carinhosas destas simplesmente não tem preço, nem mesmo existem palavras suficientes para expressar tamanha emoção.   

 10- Bom, espero que tenhas gostado da entrevista. Obrigada pela paciência e tempo dedicados às respostas. Gostaria de deixar um recadinho para nós blogueiros?

 Adorei esta experiência e agradeço imensamente, mais uma vez, por este espaço. Estou contando com a ajuda de muitos blogueiros para a divulgação do meu livro e quero agradecer por esta disponibilidade. O trabalho de vocês é muito relevante. Eu dificilmente compro um livro sem antes dar ao menos uma garimpada nas resenhas que vocês escrevem. Ademais, acredito que uma boa mensagem a se deixar é a seguinte: continuemos suscitando este amor pelos livros, pois eles salvam vidas.  
Um grande beijo a todos!

**********

Quem agradece pela gentileza somos nós leitores!!!!

Adicione o livro no Skoob: Uma Vida para Sempre






0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...