Resenha: Olhai os Lírios do Campo - Érico Veríssimo


Sinopse:

Eugênio Fontes, moço de origem humilde, a custo se forma médico e, graças a um casamento por interesse, ingressa na elite da sociedade. Nesse percurso, porém, é obrigado a virar as costas para a família, deixar de lado antigos ideais humanitários e abandonar a mulher que realmente ama. Sensível, comovente, "Olhai os Lírios do Campo" é um convite à reflexão sobre os valores autênticos da vida.


Opinião:

Depois de muitos anos, resolvi fazer uma visitinha na Biblioteca Pública aqui da minha cidade e acabo saindo de lá com um exemplar de um livro que sempre tive vontade de ler: "Olhai os Lírios do Campo" do meu ídolo Érico Veríssimo. Iniciei a leitura no mesmo dia e concluí dois dias depois de tão prazerosa que foi.
O livro é dividido em duas partes. Nesta primeira parte, Eugênio, nosso protagonista, relembra seu passado de vida simples e pobre com seus pais e irmão que, com muito esforço, faziam o possível para lhe proporcionar que nada nunca lhe faltasse, inclusive a educação de qualidade que ele sempre quis. Porém, mesmo que Eugênio estudasse em escola particular e tivesse como colegas os meninos mais ricos da cidade, ele sempre se sentiu (e de fato era) excluído do convívio destes exatamente pelo fato de ser humilde. Na fase adulta, Eugênio cursou faculdade de medicina e casou-se por interesse com Eunice, moça de família rica, a qual ele assume não nutrir nenhum sentimento.


Além das lembranças que muito o atormentam, Eugênio ainda relembra Olívia, sua colega de faculdade que, depois da formatura veio a ser seu grande amor. Ele e Olívia não chegaram a ser um casal, o que o impediu foi a situação financeira de sua colega que, sendo tão pobre quanto ele, fez com que Eugênio não visse um futuro com ela, ele inclusive nunca escondeu isto de Olívia que, mansamente sempre aceitou as migalhas (sentimento e atenção) que Eugênio podia lhe oferecer.
Estas lembranças começaram a surgir no momento em que ele recebe um telefonema de um amigo médico lhe comunicando que Olívia está entre a vida e a morte e que muito provavelmente não se salvará. Eugênio pede para que o motorista da família de sua esposa se dirija o mais rápido possível até o hospital e reza em silêncio que não seja tarde demais e que ele pelo menos possa ainda vê-la com vida.

O protagonista demonstra claramente possuir uma baixa autoestima e não ter o mínimo de confiança em si mesmo, considera-se inferior aos de seu convívio e age como tal, sempre se vitimizando em todas as situações. Eugênio não é feliz, nunca foi, nem quando vivia com os pais na infância humilde, nem depois de adulto, médico formado e muito bem casado (financeiramente falando). Com muito custo ele vai descobrindo que a felicidade não reside no dinheiro e no status e que ele pode ser feliz sem as coisas que sempre idealizou para si e que hoje se mostram supérfluas.


Na segunda parte, temos Eugênio ainda em conflito consigo mesmo e indeciso em relação ao seu futuro e o de sua filha Anamaria, fruto de seu amor fracasso por Olívia. Nosso personagem sabe que precisa tomar uma atitude para com a filha de 03 anos de idade e que, mesmo conhecendo a tão pouco tempo, ele já ama incondicionalmente, este amor é recíproco.
As convicções capitalistas de Eugênio vão esmorecendo ao decorrer da avaliação que ele faz de sua própria vida e de suas poucas conquistas com a existência mesquinha que escolheu para si. O personagem com muito custo vai percebendo seus erros e, parte em busca de uma vida mais satisfatória, a vida que num passado não muito distante ele julgava não querer para si mas, que hoje frente ao que se lhe apresenta ele começa a encontrar gratificação.


Enfim, "Olhai os Lírios do Campo" não é um livro de leitura eletrizante com muitos acontecimentos, mas nem por isto perde seu encanto, pelo contrário, com caráter puramente psicológico o autor busca trabalhar uma narrativa bastante fluida, simples e direta onde, parece que estamos lendo a alma do personagem, estamos o enxergando por dentro. É um clássico que nos faz confortar nossos medos e angústias e nos leva a avaliar até que ponto vale a pena lutar por um ideal que não nos trará nada de satisfatório e é extremamente egoísta. Sempre é possível amadurecer, basta apenas olhar para trás e ter coragem de mudar.

Sem dúvida um livro lindo!





18 comentários :

  1. Que resenha bonita!
    Li o livro no ano passado, logo após ler Incidente em Antares e ter adorado esse livro. Mais uma vez gostei bastante da escrita do Érico Veríssimo, que é meu autor brasileiro preferido.
    Você reparou que a construção daquele prédio é uma alegoria à construção do caráter do Eugênio? Meu professor me contou isso e achei muito interessante a forma como o autor consegue criar essas metáforas ao longo do enredo.

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
  2. É sempre bom fazer uma visita à biblioteca,quando vou me perco no paraíso e encontro coisas mais que interessantes.Li este já a algum tempo e hoje vc me fez relembrar o quão bom ele é.
    bjokas

    ResponderExcluir
  3. Érico Veríssimo escreve com uma maestria difícil de ser ignorada. O livro parece ter uma história bastante comovente, além de ter lições que levaremos para a vida inteira. Acho isso muito importante num livro, quando saímos da leitura com alguma coisa mudada dentro de nós. Sempre tive muita vontade de ler esse livro, apesar da história ser calma. Depois da tua resenha, a vontade só aumentou.

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Menina, nem sei mais como chegar a biblioteca da cidade o.O Que horror kkkk
    BJks!

    ResponderExcluir
  5. Oi Vanessa,
    Olhai Os Lírios do Campo foi meu primeiro contato com o autor e sério, fiquei traumatizado.
    Simplesmente nao consegui simpatizar com o Eugenio. Se ele já era uma mala quando queria uma vida melhor, achei ainda mais insuportável quando se arrepende. Olívia e seu altruismo exagerado tbm nao me convenceram.
    A verdade é q na curti a filosofia moralista que acompanha a redençao do protagonista. Sei q é um absurdo eu estar criticando uma obra de um autor consagrado como o Verissimo, mas ele mesmo reconheceu que Olhai os Lirios do Campo é um tanto falso e sentimental.
    Ainda assim, tenho mta curiosidade para ler O Tempo e o Vento, mas falta coragem para enfrentar os sete volumes da saga.
    PS: se quiser ler uma estória de redenção que realmente funciona, indico Grandes Esperanças, do Charles Dickens. De longe um dos melhores livros que já li.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo joia?
    A última vez que fui na biblioteca daqui da minha cidade foi para ver se podia fazer um evento lá, nunca fui atrás de livros mesmo, me sinto um monstro huashuahua. Gostei bastante da sua resenha, eu não costumo ler livros do gênero a não ser quando preciso mesmo haha;

    Beijos
    intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Vanessa,

    Eu ainda não li esse livro, mas como é um clássico acho que é minha obrigação lê-lo, ainda mais depois da sua resenha....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    Prefiro livros que contenham acontecimentos variados e com muita ação. Embora sua resenha mostre que o livro é bonito e os podemos mudar, basta querer, não fiquei empolgada para lê-lo.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  9. Oiee!

    O livro parece muito bom, mesmo, tanto pela sua resenha quanto pela sinopse do mesmo, e apesar de você ter gostado muito, eu acho que não leria...

    Não sou fã de livros assim, sabe? Mas quem sabe um dia eu não dê uma chance .-. Por ora, não tenho interesse...

    Parabéns pela resenha!

    Bjs,
    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Esse nome do livro não me estranho, mas não sabia que tinha um livro.
    Vou anotar a dica, gostei da resenha e me parece ser uma boa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Vanessa!! Tudo bem?!
    Eu já li esse livro, mas faz tanto tempo que nem me lembrava muito bem da história! Mas o que lembro é que me emocionei muito com ele... eu adorei! S2
    Sua resenha me fez ter vontade de relê-lo, muito boa!
    Beijos

    http://garotanaalcateia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu adoro Erico Veríssimo. Fiz um trabalho sobre ele no ensino médio, que tinha até peça de teatro de O tempo e o vento rsrsrs. Mas peraí, você vai me deixar curiosa sem saber se ele se livrou da esposa rica? Se o amor da vida dele sobreviveu ou não??? Não!! Não me conte!!! Preciso ler kkkkk Bjs

    ResponderExcluir
  13. Oi, Vanessa.
    Nunca li nenhum livro do Érico Veríssimo, nem na escola, rs. Gosto de pouquíssimos clássicos brasileiros, como os livros de Machado de Assis (amo de paixão), Vidas Secas (até hoje choro quando leio a morte de Baleia) e A Moreninha. Mas li muitos outros por obrigação, principalmente na época de vestibulares. Esse me chamou atenção. Na próxima vez que eu der uma passada na biblioteca, vou ver se o acho. Fiquei curiosa sobre o desfecho da história. Ótima resenha.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Ah Vanessa a quanto tempo não vou em um aBiblioteca, e olha eu trabalhei em uma, é tão perfeito.
    Adoro clássicos da literatura e o título do livro é lindo, bem poetico.
    Vou procurar para ler, adorei a resenha.

    Beijos e bom final de semana.
    http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/02/resenha-laco-colorido-katia-caetano.html

    ResponderExcluir
  15. quando eu era nova eu sempre ia a biblioteca, livrarias novas pela cidade eu sempre pegava livros na escola mas esta tudo tão corrido que nem faço isso mais =/
    Amei a resenha, eu já vi esse livro mas nunca li ele gostei da resenha o que eu mais gostei e que o livro apesar de não o tipo de livro que eu gosto tem a leitura fácil (pelo o que eu percebi) isso facilita muito. Gostei da resenha
    http://descrevendonuvens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. A obra deixa uma grande mensagem de coragem e amor para quem lê. A visão inocente mais cheia de sabedoria de Eugênio e de Olívia sempre foi minha esperança para o mundo. Esse livro mesmo tendo uma capa horrível kkkk é ótimo, não me arrependi quando o peguei na escola

    ResponderExcluir
  17. Van!
    Tive saudades de Eugênio... tão insatisfeito e ao mesmo tempo sonhador e idealista. O livro é uma verdadeira lição de vida, pelo menos para mim foi na época...
    Fico feliz que tenha conseguido pegar na biblioteca, hoje em dia é tão difícil ir a uma...com tantos livros na estante para ler, inviável ir a biblioteca.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  18. Oi Van
    Há um tempo atras eu comecei a ler este livro e parei. Eu era muito nova e os clássicos eram dificeis para eu compreender.
    Agora fiquei com muita vontade de ler. Achei o máximo que vc buscou este livro na biblioteca.
    Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...