Resenha da Grazi: Real - Katy Evans


Título: Real
Autora: Katy Evans
Editora: Novo Século
Número de páginas: 268

Classificação:



Sinopse:

Remington Tate tem a reputação de ser um bad boy, dentro e fora. É conhecido também pelo corpo escultural e pelo poder, sexy e selvagem, que emana de cada gota de suor, levando toda e qualquer mulher que o veja a um verdadeiro frenesi. Em seus olhos, brilha um desejo brutal, devastador e real. Brooke, uma especialista em fisioterapia esportiva, é contratada para manter aquele corpo funcionando como uma máquina mortal. Esse parecia ser seu emprego dos sonhos, mas, ao circular pelo perigoso circuito de lutas clandestinas com Tate e sua equipe, Brooke passa a ser dominada por um novo sentimento, um fogo e uma necessidade com os quais ela não sabe lidar. O que começa com um simples flerte pode virar uma obsessão sexual incontrolável. Terríveis segredos serão revelados, e Brooke deverá lutar para manter-se sã, discernindo o que há de real e o que é pura ilusão em seus próprios sentimentos.

Opinião:

Primeiramente, quero dizer que se você for menor de 18 anos, mantenha-se longe desse livro ou dessa resenha. Está avisado :)



Segundamente... preciso admitir que é um dos livros mais sexys que já li. Como literatura erótica, ele mostra a quê veio e se você é do tipo que não tem fantasias sexuais, vai passar a ter depois de ler esse livro. Posso resumir todo o livro em algumas palavras: boxe, sexo, luxúria, desejo, conflito. Toda a trama cumpre direitinho a linha que precisa seguir para agradar o público alvo, ou seja, as mulheres. Um homem lindo de matar, uma garota desamparada, uma atração mútua e incontrolável, um desejo avassalador, uma relação carnal e obsessiva e dramas psicológicos. E aí é que começa meu problema com o enredo.

Apesar de ter que admitir que é uma das obras New Adult menos batidas que li nos últimos dois anos, ele ainda peca pelo excesso de clichês. Entendo que mexer numa fórmula que está dando certo é complicado, mas é pedir demais uma coisinha um pouco menos... previsível?

Real é uma trilogia (2º livro já lançado) que conta a história de Remington Riptide Tate, um ex-lutador profissional, que agora circula pelas lutas clandestinas depois de ter sido expulso do circuito legal por lutar fora do ringue e de Brooke Dumas, uma ex-atleta que tinha o sonho de ir as Olimpíadas, mas devido a uma lesão no joelho, teve seus sonhos interrompidos. Após ser convencida pela sua amiga louca Melanie (que me lembrou demais a May, de A Seleção, sei lá por quê) Brooke vai a uma das lutas em que Remy participará. Assim que seus olhos se encontram, acontece uma conexão instantânea entre eles. Apartir daí a trama se desenrola, com Remy fazendo de tudo para estar com Brooke, contratando-a para sua equipe de preparação. Vou parar por aqui para não rolar muito spoiler.


Eu achei a linguagem do livro um tanto quanto chula. Sei lá, existem outros termos pra se usar numa obra assim, mesmo sendo do gênero erótico, porque querendo ou não, ele tem a intenção de ser também um livro sobre romance. As coisas que as meninas gritam pro Remy, o jeito como Brooke descreve como ele a faz sentir-se... bem, achei desnecessário. Mas, como disse antes, cumpre o que promete.

Tenho que elogiar aqui o trabalho da autora em descrever com precisão como uma mulher se sente num momento de desejo. Tuda que a Brooke pensa até o momento que finalmente consegue dormir com Remington é completamente plausível. O que não é real pra mim é como as coisas se desenrolam até isso.

- Seu nome. - ele rosna ofegante, com seus olhos selvagens nos meus.
- Uh, Brooke.
- Brooke de quê? - ele rebate, suas narinas dilatadas. Seu magnetismo animal é tão poderoso que eu acho que ele roubou minha voz. (...)
- É Brooke Dumas. (...)

- Brooke - ele rosna baixinho, de forma significativa, contra os meus lábios, enquanto ele volta com um sorriso - sou Remington.

Essa cena aí acontece quando que ele nocateia rapidamente um cara só pra seguir a Brooke, enquanto ela saía da arena. Esses tipos de encontros entre os protagonistas nunca faz sentido pra mim. Eu entendo desejo, mesmo, mas não consigo acompanhar a partir de onde isso vira amor. Especialmente nesse enredo. O cara olhou pra ela, e a quis. Ela olhou pra ele e o quis. Passaram algumas semanas juntos e puff... ele queria ser ''O cara'' dela e ela descobriu que o amava.


- Protegê-la é meu privilégio. Eu vou proteger a você e qualquer coisa a quê você dá valor é importante para mim também.


Mas como assim? D: É tudo muito do nada, sem uma coisa disparadora, sem um relacionamento real que me convença de como isso aconteceu. Preciso repetir... como a fala acima, o livro acerta muito bem onde precisa atingir: o imaginário de uma garota. Toda mulher quer um bad boy problemático que queira - e precise - ser consertado por você. E isso já me cansou nesse tipo de livro .-.

Os pontos fortes do livro: as lutas, o passado de Brooke e Remington e as descrições da Brooke. O conjunto é clichê, mas a personalidade da Brooke e o segredo do Remy fazem valer a pena a leitura. Vou parar por aqui, por quê já tá grande demais, mas esse livro merecia uma análise maior, assim como o gênero ao qual ele pertence.
  
Bora dar uma mudada aí, hein, pessoal?
  
No mais, recomendo muito às fãs do New Adult. É um dos melhores do mercado atual. Já estou com a sequências em mãos (Mine) e em breve aparece a resenha por aqui.




16 comentários :

  1. Oi Grazy, não posso dizer que não curto romance erótico pois nunca li, mas é um gênero que não me atrai. Se fosse para euescolher um livro do gênero para começar, com certeza não escolheria esse. Esses acontecimentos 'do nada' me revoltam, haha. Sem contar que isso que você disse de linguagem chula, haha, certamente vou deixar passar.
    Espero que a continuação seja melhor e que você goste mais!

    Erica Regina
    parado-na-estante.blogspot.com.br
    facebook.com/paradonaestante

    ResponderExcluir
  2. Ahhh hahaha adorei! Eu tô meio farta desses eróticos, mas esse me deixou curiosa hahahaha
    Sei lá se foi sua afirmação de que esse é o mais erótico do mundo, mas fiquei curiosa! Hahahaha
    Vou dar uma checada nisso.

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  3. Oi Grazi.
    Sua resenha foi ótima de ler, principalmente porque ainda não li este livro e tenho muita vontade de saber um pouco da história. Eu gosto de ler livro eróticos , mas leio nos intervalos dos outros gêneros. Ainda deixarei na minha lista de desejados e tentarei adquiri-lo mais rápido.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu não curto muito os bad boys tipo Travis Maddox, mas sei lá, caso eu veja falar muito bem de um livro, de repente até posso ler... Não gostei muito da capa.

    Beijo da Laura

    ResponderExcluir
  5. Heyy! Pois é amiga, é por causa dessas fórmulas clichês dos mãe adults que sou traumatizada. E também não consigo entender esses desejos e paixões arrebatadoras e avassaladoras. Tem que mudar isso! Mesmo com a sua Boa referência, vou deixar essa leitura para quando eu decidir dar uma nova chance ao gênero. Bjossss

    http://www.porredelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Heyy! Pois é amiga, é por causa dessas fórmulas clichês dos mãe adults que sou traumatizada. E também não consigo entender esses desejos e paixões arrebatadoras e avassaladoras. Tem que mudar isso! Mesmo com a sua Boa referência, vou deixar essa leitura para quando eu decidir dar uma nova chance ao gênero. Bjossss

    http://www.porredelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Fui parando de ler esse tipo de livro aos poucos, justamente pelo que você falou: a repetição excessiva dessa fórmula de sucesso! Você lê um e parece que já leu todos, com algumas exceções, é claro.

    Bjs,

    http://www.tamiresdecarvalho.com/

    ResponderExcluir
  8. Oiii!

    Ótimos avisos hahaha. Confesso que não curto muito esse estilo de livro não!eu gosto de erotismo quando faz parte de um romance histórico por exemplo, mas assim não me agrada muito não. Gostei da sua resenha, mas passo a leitura no momento!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Gente, eu já queria ler essa trilogia, depois dessa sua resenha então... Adorei todas as dicas. Eu gosto de livros eróticos, mas não curto muito quando tem palavras chulas também, acho que por mais que seja algo mais sexy e "vulgar, dá para dar uma amenizada nisso, sem tirar do contexto. Sobre ser previsível e batido, nem me importo, estou acostumada, tendo algo de diferente pra mim eu quero ler, que no caso seria o boxe, nunca li nada com o tema!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Grazy.
    Não conhecia esse livro, e o gênero não é dos meus preferidos. Então, acho que vou me manter longe dessa história que pareceu ser rasa demais, sem muito propósito. Ainda mais por abordar palavras chulas, eu entendo que tem muito a ver com o gênero, mas quando é em excesso acaba ficando desnecessário.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Li uma vez um erótico e nunca mais tentei ler novamente, justamente pela falta de trama profunda e clichês excessivos que me deixaram entediados na leitura.
    Sua resenha está muito boa, mas pelo trauma acho que não conseguiria pegar o livro para ler, pelo menos por agora XD
    Abraços
    pontoparaler.com.br

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Oi Grazi!
    Adorei a sua resenha e o livro provavelmente entrará para minha lista de leitura. Adoro um bom hot com histórias envolventes e assuntos que parecem "proibidos"!
    Obrigada pela dica!

    Beijos!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Ultimamente tenho visto muitas críticas aos clichês e premissas repetitivas em NA, parece que os livros estão vindo com a mesma forma sempre, pelo jeito. Acho isso ruim, acho que precisa que alguém se destaque.Quando diz que toda mulher quer um bad boy, bom, discordo haha acho essa coisa toda de "super desejo pelo cara mal" bem chatinha até, não sei porque as autoras batem tanto nessa tecla. E não sei porque focar tanto em desejo/sexo no NA também, sei lá, acho que podia focar em outra coisa além disso. Enfim, não é um livro que eu leria.
    beijos

    ResponderExcluir
  15. Grazy sua loka ♥
    Sabe que a sua breve descrição do livro ali me lembrou um que eu odeio: Belo Desastre! Garoto bonitão, que luta e conhece a menina na luta e esses etc todo tão se amando a vida inteira, bla bla bla. Sério, isso me irrita e olha que eu desconsidero a parte erótica por estar tirando esses preconceitos da cabeça. Mas né, se for desenvolver uma história que fique acima do sexo que faça isso de uma forma decente. O pior que a ideia da luta realmente é algo que chama a atenção, mas como eu confio nas suas palavras eu vou passar longe desse livro haha
    Beijos
    Sil - Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  16. Infelizmente, muitos romances da atualidade, pecam no quesito amor, em poucas páginas e em pouco tempo, pronto os personagens estão apaixonados, declaram amor eterno, acho isso tão irreal! Gosto quando o romance se dá aos poucos, algo a ser descoberto por ambos, não sei se é o gênero, mas muitos NA e eróticos costumam serem assim. Mas o que gostei de saber é que Real, cumpre boa parte do que promete, sem dúvidas, apesar dos pontos negativos citados, é um bom livro, ainda não sei se de fato leria, pois não curto o gênero, mas quem sabe qualquer dia desses?

    Da Imaginação à Escrita

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...