(Resenha da Grazi): A Fila - Ana Esterque


Editora: Chiado
Autora: Ana Esterque
Páginas: 85

Sinopse

A Fila é composto por 10 narrativas, permeadas por temas polêmicos - como incesto e violência contra a mulher. Além disso, as histórias levam o leitor a uma reflexão sobre o vazio e a delicadeza da alma.
A coisa mais importante que você precisa saber sobre esse livro é: ele é poderoso, mas delicado. Os temas que ele aborda poderiam ser muito intensos e assustadores, mas Ana Esterque os trabalha com tanto cuidado que ele atingem você apenas na medida certa para fazer pensar, mas não o suficiente para ficar ultrajado ou querer se desviar da leitura. 



Ele é dividido em 10 contos que abordam diferentes emoções e situações. Já no primeiro conto, que dá nome ao livro, podemos ter uma sensação de enclausuramento e revolta, além de pena. 

Natasha viu as pessoas galopando em sua direção e escondeu o rosto com as mãos. O pisoteamento foi inevitável. 
- A Fila

Os mais fortes para mim foram esse primeiro, Boa noite, Isabela (cujo nome, para o leitor atento, já mostra a que veio), Professor e Amor Delicado (que utilizada um narrador inusitiado).

Espremeu os olhos. Tampou-os com a palma das mãos. Ali, em pé no meio do quarto e de olhos cerrados percebeu um incômodo no baixo ventre. ''Não pode ser'', pensava com insistência. 
- Boa noite, Isabela

O livro conta ainda com uma apresentação de Marcel Portoluna, membro conselheiro da Real Academia de Letras Vernáculas do Rio de Janeiro. Não pule. Vale a pena ler. 

Em suma, o livro é pequeno, desconcertante, mas muito interessante. É importante saber lidar com esse tipo de leitura. Não é aquela que agrada, nem tenta. É aquela que te puxa a pensar de verdade. 

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...